Incontinência urinária, podemos tratar?

Considerada uma incontinência urinária toda e qualquer perda de urina de modo
involuntário. Sendo um problema de saúde pública, essa condição afeta a vida do
individuo como um todo.
É grande o número de pessoas em especial mulheres que possuem a
incontinência urinaria e deixam passar por vergonha de procurar um serviço de saúde
especializado no tratamento, ou simplesmente por querer evitar um procedimento
cirúrgico pensando ser a única solução.
Acometendo ambos os sexos e idades, acaba sendo mais comum em mulheres,
geralmente pelo envelhecimento natural das fibras musculares, redução da função
ovariana após o climatério, obesidade, gravidez ou múltiplos partos vaginais.

Enquanto nos homens a grande maioria acontece após a cirurgia de resseção transuretral da próstata e a prostatectomia radical utilizadas no tratamento do câncer de próstata.
Existem três tipos de incontinência urinária, sendo a incontinência urinaria de
urgência, incontinência urinaria de esforço e incontinência urinaria mista.
Incontinência urinária de urgência (IUU) ocorre a contração vesical pelo
músculo detrusor através de resposta por estímulos ou espontaneamente. O músculo
detrusor encontra-se hiperativo, sendo que a perda de urina é percebida em seguida da
vontade com urgência miccional.
Incontinência urinaria de esforço (IUE), surge com o aumento da pressão intra-
abdominal, na ausência de contração do músculo detrusor, onde a pressão vesical
excede a pressão uretral máxima, por falha no mecanismo esfincteriano uretral.
Também podendo ocorrer pela fraqueza do assoalho pélvico ou consequência de
procedimento cirúrgico.
Incontinência urinaria mista (IUM), nesse caso estão associados mais de um
sintoma tanto da incontinência urinaria de esforço quanto da incontinência urinaria de
urgência.
Para sustentação da bexiga e da uretra temos estruturas ósseas da pelve
interligadas por fibras musculares lisas dos ligamentos junto com a musculatura do
assoalho pélvico. Essa estrutura permite uma manutenção do tônus e contração
muscular diante do aumento forte da pressão abdominal.

Pensando em tratamento, hoje encontramos o cirúrgico sendo a opção em último
caso quando o conservador não surtirá efeito. O medicamentoso, sabendo que a
medicação poderá causar efeitos colaterais. E o conservador, hoje considerado a melhor
opção pra tratamento e até mesmo como prevenção.
Na parte conservadora os métodos fisioterapeuticos são utilizados visando o
fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico através de contrações voluntárias dos
músculos perineais por exercícios de Kegel, além do uso dos cones vaginais que
proporcionam um ganho de força e resistência muscular por meio do estimulo pra
recrutamento das musculaturas pubiococcígea e auxiliar periférica, que precisam reter
os cones cada vez mais pesados e com posições diversificadas.

Além da eletroestimulação intravaginal, e o trabalho com a utilização dos aparelhos de
biofeedback que conscientizam o controle seletivo dos músculos do assoalho pélvico,
informando o paciente por meio de sinais visuais ou sonoros qual o grupo muscular que
deve ser trabalhado, potencializando os efeitos dos exercícios perineais.
Assim conseguimos constatar que o tratamento conservador consegue melhorar
a qualidade de vida do paciente, além de conseguir evitar um futuro procedimento
cirúrgico. Possibilitando a volta do individuo na sociedade sem a sensação de
insegurança quando realizar um esforço ou simplesmente segurar a vontade miccional.

Referencias:
 A eficácia do tratamento fisioterapêutico da incontinência urinária masculina
após prostatectomia. Livia Marie Kubagawa1, José Renato Ferreira Pellegrini1,
Vanessa Pereira de Lima2, Adriana Luciana Moreno. Revista Brasileira de
Cancerologia 2006; 52(2): 179-183.
 Avaliação da força muscular do assoalho pélvico em idosas com incontinência
urinária Juliana Gonçalves de Sousa, Vanessa Ribeiro Ferreira, Ricardo Jacó de
Oliveira, Cláudia Elaine Cestari. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 24, n. 1, p. 39-46,
jan./mar. 2011.
 A cinesioterapia como tratamento da incontinência urinária na unidade básica de
saúde. Keila Simone Frade Marques, Patrícia Antônia Corrêa de Freitas.
Fisioterapia em Movimento, Curitiba, v.18, n.4, p. 63-67, out./dez., 2005.
 Eletroestimulação transvaginal do assoalho pélvico no tratamento da
incontinência urinaria de esforço e ultra- sonográfica. Viviane Herrmann,
Benhur Antônio Potrick, Paulo César Rodrigues Palma, Cassio Luis Zanettini,
Andrea Marques, Nelson Rodrigues Netto Júnior. Trabalho realizado na
Unicamp – Universidade Estadual de Campinas, SP.
 Influencia dos exercícios perineais e dos cones vaginais, associados a correção
postural, no tratamento da incontinência urinaria feminina. Matheus LM,
Mazzari CF, Mesquita RA e Oliveira J. Rev. bras. fisioter., São Carlos, v. 10, n.
4, p. 387-392, out./dez. 2006.
 Qualidade de vida em mulheres após tratamento da incontinência urinária de
esforço com fisioterapia. Tirolli MR, Simões J A, Herrmann V, Gurgel M S C,
Morais S S. Rev Bras Ginecol Obstet. 2007; 29(3):134-40.
 Efeito do treinamento funcional do assoalho pélvico associado ou não a
eletroestimulação na incontinência urinária após prostatectomia radical.
Kakihara CT, Sens YAS e Ferreira U. Rev. bras. fisioter., São Carlos, v. 11, n. 6,
p. 481-486, nov./dez. 2007.

Texto redigido por profissionais da Clínica Homeostase

logo-homeostase

Anúncios

Evento: Disney Princess Magical Run SP

Oi pessoal!! Hoje venho falar de um evento suuuper bacana que acontecerá em Março em SP: Ahh que demais!!! O Disney´s Princess Magical Run é um evento que acontece lá nos EUA e está sendo trazido pela primeira vez para … Continuar lendo

Reações de vacina e calendário completo de vacinas

Reações de vacina e calendário completo de vacinas Oi gente!! Hora da vacina! Quer ver uma mãe ficar com o coração na mão? É só acompanhar a hora da vacina! A gente fica com a maior dó de deixar a … Continuar lendo

Dica da nutricionista: Fertilidade e alimentação

Oi gente!

Barriga grávida gestante

 

Para as mamães que querem engravidar novamente, hoje gostaria de falar algumas dicas sobre fertilidade natural, pois li muito quando queria engravidar.

Em primeiro lugar o casal precisa ter em mente de que em condições normais (mulher menstruando normalmente e marido com espermograma bom), a chance de um casal engravidar em cada mês é de até 20%. Ou seja, se você não engravidar no primeiro, segundo ou terceiro mês, não se desespere. Você está dentro da normalidade.

Em segundo tenha em mente de que para haver a concepção, são necessários óvulo e espermatozóide e portanto antes de qualquer tratamento, tanto a mulher como o homem devem ser investigados. Cerca de 40% da infertilidade do casal é relacionada ao homem, 40% à mulher e os 20% restantes são causas não explicadas (ou seja o casal está ok mas mesmo assim não engravida).

Como nutrição é a minha praia vou me aprofundar um pouco mais sobre o tema e quem quiser tirar mais dúvidas pode mandar aqui nos comentários ok?

Assim que você começar a pensar em engravidar, vá ao médico ginecologista e faça seus exames de rotina como: fisico, papanicolau e sangue. Cheque também se todas as suas vacinas estão em dia pois algumas doenças podem ser perigosas na gravidez (como a rubéola). Seu médico também poderá pedir alguma sorologia para ver doenças infecciosas como HIV, hepatite, etc. Descobrir se você tem anticorpos contra toxoplasmose também é interessante.

Ótimo. Você está em dia com a sua saúde agora é só começar a tentar não é mesmo? Não! Corte todos os maus hábitos: fumar, beber e junk food.

O ideal antes de engravidar é que você comece a tomar algumas vitaminas, em especial o ácido fólico(5mg, bem baratinho na farmácia). Outras vitaminas interessantes a serem tomadas é a vitamina C e a E (esta deve ser tomada com cautela pois é tóxica em excesso).

Veja também seu peso. Quando mais dentro da normalidade melhor. Calcule seu IMC (Índice de Massa Corporal).

Pegue uma calculadora e: divida seu peso em kg e dividir pela sua altura. Pegue este resultado e divida novamente pela sua altura. Você vai obter o IMC.

Tabela IMC

Estudos indicam que mulheres obesas (IMC acima de 30) ou muito magras (IMC abaixo de 19) podem apresentar maior dificuldade de engravidar. Portanto se estiver acima do peso, comece uma dieta alimentar (com nutricionista) e se estiver com pouco peso, faça mudanças na alimentação para ganhar alguns quilinhos.

A dieta ideal para a mulher que quer engravidar deve priorizar o consumo de frutas, verduras e legumes. Se possível, procure trocar estes alimentos pelas versões orgânicas. Assim você garante mais saúde e menos toxina circulante.

Exemplo de Cardápio

gravidez2 Dicas de fertilidade e alimentação

Café da manhã

1 copo de leite integral ou semi desnatado (estudos indicam que a gordura do leite pode favorecer a fertilidade) batido com 1 fruta.

1 fatia de pão integral com queijo branco ou ricota

Lanche da manhã

1 fruta- qualquer tipo

Almoço

salada fresca e bem lavada (cuidado com saladas mal lavadas ou de locais desconhecidos)

1 inhame cozido ou assado (há indícios de que o inhame favoreça a ovulação, ótimo para quem tem ovários policísticos).

2 colheres de arroz integral, 1 concha pequena de feijão

carne vermelha- grelhada ou assada. 1 a 2 vezes por semana: peixes

Sobremesa: gelatina- capriche no colágeno, não esqueça que sua pele vai esticar muito com a gravidez e isto pode ajudar a conter as temíveis estrias!

Lanche da tarde

1 bola de sorvete de massa (delícia hein! Mas novamente estamos pensando na gordurinha do leite)

1 torrada integral com queijo tipo cottage

Jantar

Salada de folhas variadas, dê preferência às folhas verdes escuras que ajudam no aporte de ferro e ácido fólico.

1 prato de sopa de legumes com carne!

Ceia- antes de deitar

1 copinho de iogurte de frutas com 1 colher de sopa de granola (ótimo para o intestino e flora intestinal, estudos mostram uma possível relação com o consumo de probióticos e a flora vaginal, facilitando a fertilidade)

Gestante comendo fruta

Até a próxima, pessoal!

 

carol Carol Di Guimarães – Nutricionista

Carol é minha grande amiga de infância, presente em todos os momentos da minha vida, muitas risadas e companheirismo sempre, para vocês terem noção, no meu casamento ela conduziu a cerimônia religiosa :-) Carol é formada em nutrição, atende em seu consultório, compartilha suas alquimias culinárias em seu blog Saboridades e é responsável por todo o cardápio da criançada em uma escola que vai do berçário até o ensino fundamental. Carol traz dicas, informações importantes sobre os alimentos e receitinhas super especiais para nós!